Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

rodrigando

Aqui falo de mim, dos que amo, dos meus sonhos, das minhas alegrias e tristezas e de tudo o que gosto...ou não.

rodrigando

Aqui falo de mim, dos que amo, dos meus sonhos, das minhas alegrias e tristezas e de tudo o que gosto...ou não.

A CARTA QUE NUNCA LERÁS

rodrigando, 14.09.09

 

 Ontem não te abri a porta. 

 Começo a ficar cansada de não saíres da minha casa, que é o mesmo que não saíres da minha vida.

Há muito que em comum só temos os filhos e os netos.

Detesto que continues a querer controlar a minha vida. Já não tens esse direito. Não to reconheço, não to dou e já não admito que que uses e abuses dele.

Por isso acabou-se.

Tirei da porta a chave que lá esteve durante anos. Assim não podes mais abri-la e entrar quando te apetece, mesmo que eu não esteja em casa.

Era uma falta de respeito? Claro que era, mas eu já me devia ter habituado a elas.

É a segunda vez que chegas e "bates com o nariz na porta". Eu estava em casa. Simplesmente decidi que não quero que voltes a entrar na minha casa com o pretexto de que vens ver se os miúdos cá estão.

Nem com esse nem com qualquer outro. 

Quero seguir a minha vida como tu seguiste a tua. Se estás mal, problema teu. Eu estou optima, como estou. 

Os filhos, quando lhes contei,disseram que já o devia ter feito há muito.

Foi tarde mas ainda foi a tempo.

Mais tarde ou mais cedo que é como quem diz "tantas vezes hás-de bater com o nariz na porta" , que hás-de compreender.

Poderia dizer-te cara a cara que não te queria aqui, mas isso traria uma bruta discussão que não estou disposta a ter, traria de volta mágoas que estão arrumadas mas não esquecidas e iria complicar o relacionamento com os filhos e eu não quero.

Não sei se estou a ser sensata ou cobarde mas está decidido.

Não voltas a entrar na minha casa sem que os filhos ou os netos cá estejam e também nunca mais te aproveitas da minha estupidez para me voltares a perguntar :- "Não é que eu tenha nada a ver com isso mas quando vais  ao Porto em casa de quem é que ficas?"

E eu, burrrrra, estuuuuuuupida, papaguear a minha vida toda.

ACABOU-SE!!!!!