Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

rodrigando

Aqui falo de mim, dos que amo, dos meus sonhos, das minhas alegrias e tristezas e de tudo o que gosto...ou não.

rodrigando

Aqui falo de mim, dos que amo, dos meus sonhos, das minhas alegrias e tristezas e de tudo o que gosto...ou não.

CONTRATEMPOS

rodrigando, 22.05.10

 

 

 

Alguém disse, ainda não há muitos dias, que os contratempos que vêm à nossa vida são portas fechadas que nós temos que abrir e ultrapassar. Cada vez mais me convenço dessa verdade.

Sem dificuldades nós não cresceriamos como seres humanos, não aprenderiamos a conhecer-nos e a conhecer os outros e, ainda menos, conheceriamos os nossos limites.

Embora nós não gostemos, são as dificuldades que nos ensinam e nos trazem a experiência de que tanto necessitamos no dia a dia.

SÃO ELES QUE NOS DÃO SABEDORIA PARA EMPURRAR A PORTA E TRANSPÔ-LA,

 

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Fco. Patrício 01.06.2010

    Prezado Rodrigo,
    Embora não o conheça pessoalmente, toda a atmosfera de sensibilidade que envolve o seu blog que diz muito de si.
    Sobre a decadência da Zona Oriental de Lisboa - acrescentaria que é facto consumado, na medida em que por lá implantaram os ditos "bairros sociais", cujos habitantes nada têm em comum com a cultura portuguesa. Costumo afirmar - é sombrio, bem sei - que daqui a 30 anos, os portugueses serão minoria e vão começar a ser cassados.
    Até os jovens, actualmente, renegam tudo quanto é tradicional na nossa cultura - falam que é "cota" - usar o cabelo curto é "cota; roupas convencionais é "cota'; o Fado é "cota"; trabalhar e se estabelecer é ... "cota"! No dia em que as - hoje - chamadas minorias (negros, muçulmanos, ciganos etc) sairem à rua não vai ter "para ninguém", como se diz aqui no Brasil. Não vão existir 'cotas' em número suficiente para defender a nossa Pátria.
    Portugal está em processo de decadência desde o momento que o dinheiro do contribuinte alemão teve como utilidade principal, dar mordomias desnecessárias a uma população cuja capacidade de produção e de sacrifício é reduzida. Estamos sem identidade e somos , a cada dia que passa, menos nação.
    Receba, meu caro Rodrigo, um abraço carinhoso.
  • Sem imagem de perfil

    Fco. Patrício 01.06.2010

    Bom, mas visões sombrias não fazem parte dos planos deste Blog.
    Um dos objetivos do seu blog é "falar das pessoas amadas" (sic) e como é bom falar bem de quem a gente gosta! E como eu só abraço as pessoas de quem realmente gosto,
    Receba você, Rodrigo, e demais participantes deste espaço cibernético, um longo e extremoso abraço do tamanho deste vasto oceano que nos separa.
    Carinhosamente,
    Fco. Patrício
    Rio de Janeiro - Brasil
  • Sem imagem de perfil

    Fco. Patrício 01.06.2010

    Por um erro de atenção - "Rodrigando" - julguei que seu nome era Rodrigo! Estou mortificado, Adélia - me desculpe!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.