Aqui falo de mim, dos que amo, dos meus sonhos, das minhas alegrias e tristezas e de tudo o que gosto...ou não.



Contador de visitas
.Contador

contador

SELO À AMIZADE

.Os Meus amigos



Maripossa


:: Onix ::

San
Sentidos Proibidos Mª
Cuidando de Mim
Da Planície
Tina
Coisas de Mulher
Em busca da Felicidade



.posts recentes

. A ÁRVORE (8)

.arquivos

. Maio 2013

. Fevereiro 2013

. Abril 2012

. Março 2012

. Novembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Novembro 2008

Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009
A ÁRVORE (8)

 Depois de um verão " primaveril",  que se despediu com um dia de calor,  chegou o Outono, uma estação que para mim é um pouco estranha.

Gosto da cor das folhas a envelhecer, detesto ter que andar a varrê-las.

 Saio de casa a meio da tarde e está calor. O sol vai-se  embora, fica vento e frio que já parece inverno. Detesto não saber o que vestir.

Gosto de ouvir chover. Detesto ficar toda encharcada.

Mas adoro as paisagens outonais.

Hoje vou compartilhar convosco um poema que há alguns anos fiz para um Amigo muito querido que já partiu.(O sentimento de culpa matou-o)  e que tem como mote um poema dele.

                       

           "Árvore de folhas despida

             Tão nua, triste, displicente

              Ignorada por toda a gente    

              Que árvore és tu?"   (L.F.R.M.)

 

Hoje vi uma árvore assim!

Mas os seus ramos erguidos aos céus

Pareciam braços clamando a Deus

Talvez por ela...talvez por mim.

E então,

Lembrei-me do teu poema

E da árvore que te serviu de tema

E, com tristeza, lembrei-me de ti.

De ti, que partiste tão cedo,

Tão ignorado, tão em segredo

E da última vez que te vi.

Sei

Que começaste a morrer

Quando uma vida quebraste,

Sem querer

Mas ainda hoje não sei

Quando acabaste de viver.

E então,

Quando aquela árvore vi,

De braços nús erguidos aos céus

Em oração, pedindo a Deus

Talvez por ela, talvez por mim,

LEMBREI-ME DE TI.                                    

sinto-me: saudosa
publicado por rodrigando às 03:40
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.favorito

. PAI SE É POSSIVEL...

. SINA ...(?)

. PASSARAM-SE 34 ANOS

. EU MORO NA BRANDOA...

. ILUSÃO

. REVIRAVOLTAS

. HOJE

. TVI - PORQUE A SOLIDARIED...

. ONTEM FIZ

. OFICIALMENTE...

.tags

. todas as tags

.Música
Música
The Prayer - Celine Dion
.subscrever feeds